Curso Marta Garcia

Inglês Instrumental

Neste curso de ingles Fortaleza são trabalhadas de maneira específica as estruturas da língua inglesa e as estratégias de leitura que facilitam a compreensão do texto através da metodologia E.S.P. (English for Specific Purpose), utilizada pela professora Marta Garcia ao longo de 22 anos obtendo resultados excepcionais.

Objetivo

Capacitar rapidamente adultos a ler e traduzir textos em inglês com facilidade e segurança.

Benefícios

- Capacitar os alunos a realizar provas de alto nível na língua inglesa;
- Capacitar os alunos a ler, traduzir, interpretar e compreender livros, revistas, sites, e-mails, documentos em inglês;
- Capacitar os alunos a utilizar dicionários bilíngües de maneira rápida e eficaz.

Ideal para

Inglês para Mestrados, Concursos, Vestibulares, Médicos, Dentistas, Enfermeiros, Advogados, Executivos, Analistas de Sistemas, Engenheiros e profissionais de todas as áreas de atuação.

Carga Horária

26 h/a de 45 minutos distribuídas em 10 encontros semanais de 2h.

Metodologia

A metodologia é específica e direcionada para a sua necessidade e assim encurta o caminho para o aprendizado do inglês.

- É feito um estudo prático e detalhado das principais estruturas da língua inglesa.
- São trabalhadas diversas estratégias de leitura que facilitarão o seu entendimento tornando o processo da leitura mais rápido e preciso.
- Na sala de aula é desenvolvida a metodologia dentro de uma proposta construtivista, na qual você é levado a construir o raciocínio da língua a partir das informações passadas pela professora que atua como facilitadora. Com isso você sente-se confiante e seguro para ler e traduzir textos em diversas áreas.
- A cada aula é realizado um acompanhamento personalizado monitorando a sua freqüência e aprendizado durante todo o curso.

Há 22 anos a Escola de Idiomas Marta Garcia utiliza essa metodologia e nossos alunos têm alcançado resultados excepcionais em uma carga horária reduzida, sendo esse o nosso grande diferencial.

Artigos

 

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS - ARTIGOS
O QUE É INGLÉS INSTRUMENTAL?
Fonte:http://www.ucg.br/news/artigos.htm 1

O QUE É INGLÊS INSTRUMENTAL?
*Raquel Abrahão Edreira Neves

O nome designado para o que chamamos popularmente de Inglês Instrumental, é "English
for Specific Purposes"(E.S.P), que em português quer dizer: Inglês com Objetivos Específicos. Surgiu através de correntes convergentes que apareciam através do mundo. A primeira delas foi a demanda do Mundo Novo. Os Estados Unidos, após a segunda guerra mundial, em 1945, obteve uma grande expansão nas atividades científicas, técnicas e econômicas no âmbito internacional. Tal expansão foi dominada por duas forças que unificavam o mundo: que foram a tecnologia e o comércio, cujos os progressos, logo geraram uma necessidade de uma língua internacional. O poder econômico dos Estados Unidos, exigia que pessoas de todo o mundo aprendessem inglês, mas não por prazer ou para adquirir prestígio, e sim porque o Inglês passava a ser a chave da circulação internacional da tecnologia e do comércio. Desta forma, tornou-se imprescindível a aprendizagem desta língua para fins específicos.

A segunda tendência foi a revolução lingüística, que passava a focar a língua que é usada
na comunicação real, isto é, a língua que falamos de diferentes maneiras de um contexto a
outro. No ensino da Língua Inglesa há diferenças quando a referência é o inglês do
comércio, da engenharia, da medicina, da psicologia, da economia ou o acadêmico. Desta
forma, se a língua varia de uma situação de utilização a outra, tais situações passam a ser
específicas, servindo como base para os cursos destinados a aprendizes. A terceira corrente
centraliza o foco nas necessidades e interesses do aluno, o que despertará, logicamente
maior motivação para o aprendizado.

Os textos apresentados pelos professores de inglês serão de acordo com a área peculiar dos
seus alunos.

O ensino do English for Specific Purpose (E.S.P), aconteceu na Universidades Brasileiras no final dos anos 70. O Inglês Instrumental não se restringe somente a habilidade de leitura, mas também na escrita, na audição e na oralidade. Uma característica desta abordagem é que a língua não é ensinada com um fim em si mesma, mas como um meio para se alcançar uma finalidade específica. Há uma seleção de itens a serem ensinados de acordo com os propósitos do curso. No que se refere ao vocabulário, não é a quantidade de palavras que o aluno conhece que é relevante, mas a utilização de estratégias que o auxiliem a compreender o significado daquelas que lhes são desconhecidas.

Finalizando, o professor neste contexto não é mais uma autoridade e sim um orientador. As estratégias ensinadas devem estimular a solução de problemas, facilitando desta forma o entendimento. No Brasil, a habilidade de leitura é mais ensinada, porque segundo pesquisas realizadas, detectou-se ser ela a que mais interesse desperta entre os aprendizes, não só para fins acadêmicos, como profissionais.

Raquel Abrahão Edreira Neves
(Professora Especialista do Centro de Línguas Vivas da Universidade Católica de Goiás).

 

O que é inglês instrumental?
Artigos: Cultura em 20 agosto 2010 por Adir Ferreira

Sempre me perguntam o que inglês instrumental, como funciona e o que acontece numa aula disso. A resposta é simples: uma aula de inglês instrumental apresenta técnicas de leitura para que o aluno possa ler um texto em inglês usando o mínimo de recursos que ele tem.
Por exemplo, usamos técnicas de inglês instrumental em aulas para vestibulandos e mestrandos que têm de ler um texto, geralmente não muito fácil, em pouco tempo e com eficácia. O termo inglês instrumental foi adaptado da sigla ESP, English for Specific Purposes (Inglês para Fins Específicos) e teve seu advento na década de 70 em algumas universidades brasileiras e, embora seja usado mais para aulas de leitura, também tem sua atuação na audição, escrita e fala.
Algumas estratégias usadas em uma aula de inglês instrumental (leitura):
* Palavras cognatas – são aquelas que se parecem com palavras da lingua portuguesa e que têm o significado semelhante. Há três tipos de palavras cognatas: iguais (federal, animal), muito parecidas (family, republic) e parecidas (princess, established). Aproximadamente 25% das palavras de um texto são cognatas e isso também inclui os afixos (sufixos e prefixos).
*Skimming - é a habilidade de ler o texto superficialmente para ver qual é o assunto geral.
*Scanning - é a leitura detalhada do texto, procurando alguma informação específica.
*Contexto - O uso do contexto é importantíssimo para a previsão de ideias e pensamentos em uma aula de inglês instrumental.
*Evidências tipográficas - São nomes próprios, números e sinais de pontuação (por exemplo as aspas indicando uma citação), que juntamente com o reconhecimento das palavras cognatas, ajudam na compreensão do texto.
*Conhecimento de mundo - Todos lemos um texto já com uma bagagem cultural e de vida. Depois de saber qual é o assunto do texto, fazemos uma busca nos nossos registros sobre ele e utilizamos nosso conhecimento de mundo (chamado de schemata) para agilizar nosso processo de compreensão do texto.
*Grupos nominais – São a combinação de substantivo e adjetivo (exemplos: carro novo, comunicação lógica, frase comum, etc.). Saber reconhecer os grupos nominais também ajuda no processo de compreensão do texto.
*Gramática - Embora a aula de inglês instrumental seja de leitura, sempre á apresentado um pouco de gramática, para dar a “liga” no texto, usando os tempos verbais, modal verbs, etc.
*Linking words – São as conjunções, aquelas palavrinhas que ligam as orações (and, but, however, although, etc.) e são importantíssimas na leitura de um texto pois alinhavam as ideias apresentadas.
*Pronomes - O estudo dos pronomes do caso reto (I, you, he, she, etc.), oblíquos (him, her, etc.) e demonstrativos (this, that, etc.) é feito com ênfase no processo de compreensão do texto para verificar quem ou o quê fez tal coisa.

*Afixação - É o estudo dos sufixos e prefixos, que geralmente são de origem grega e latina e ajudam imensamente na compreensão.

 

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009
Postado por Nelson Palitot

O QUE É INGLÊS INSTRUMENTAL?
O inglês instrumental consiste, como a própria palavra denota, no treinamento instrumental dessa língua. É também conhecido como Inglês para Fins Específicos e tem como objetivo principal capacitar o aluno, num período relativamente curto, a ler e compreender o essencial para o desempenho de determinada atividade. O arcabouço metodológico no qual o ensino de inglês instrumental está fundamentado é em boa parte resultado de mais de vinte anos de pesquisas realizadas pelo Conselho Britânico com apoio do Ministério da Educação e colaboração de lingüistas ingleses e brasileiros, principalmente da Universidade de São Paulo (USP) e da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).
Como destaca o Professor Décio Torres Cruz no seu artigo intitulado "Ensino/aprendizagem de inglês instrumental na universidade," publicado na Revista New Routes, número 15, de outubro de 2001, é indiscutível a importância do conhecimento da língua inglesa nos cursos universitários atuais. Considerando a competitividade do mercado e a necessidade de atualização constante de informações científicas e tecnológicas e as dificuldades das traduções de artigos, livros e outras publicações em tempo hábil, ou seja, com a mesma velocidade em que são escritos, as universidades resolveram mudar o enfoque do ensino de inglês como língua estrangeira, passando do estudo sistemático de vocabulário e regras gramaticais para um estudo mais abrangente de textos autênticos retirados das próprias fontes de informação.
Essa nova forma de ler textos em inglês envolve estratégias de leitura, tais como: fazer previsões do conteúdo do texto a partir da análise de títulos, gráficos e ilustrações e do acionamento do conhecimento de mundo e conhecimento prévio do assunto pelo leitor, concentrar a atenção nas palavras cognatas e deduzir o significado de palavras desconhecidas a partir do contexto, procurar informações específicas ou fazer uma leitura rápida para verificar a idéia central do texto sem se preocupar com o conhecimento isolado de cada palavra ou com vocábulos desconhecidos, etc. Denominado de inglês instrumental, essa nova abordagem geralmente não inclui o estudo da língua falada, somente a escrita, já que o seu objetivo primordial é preparar os alunos para a habilidade da leitura e não para a comunicação oral. Os resultados têm sido eficazes onde esta metodologia tem sido empregada.
João Sedycias, Ph.D. Universidade Federal de Pernambuco

 

   
Av. Senador Virgílio Távora, 1701 - Sl 1205 - Aldeota - Fortaleza/CE
Fone: 85 3224.0907 / 85 8897.8800